15 outubro 2008

Esta noite sinto-me mais vazio

Não sei por onde começar, mas esta noite é uma noite de desencanto. Sinto-me um pouco vazio... A minha gata Tuxa resolveu partir e deixar-nos...

Veio para a minha casa uma semana depois do dia mais negro da minha vida até hoje e que foi a morte do meu pai. Aquela gatita pretinha com menos de mês e meio de vida, que roía um pedaço de sebo debaixo de um carro entrou na nossa vida, e deu-nos algum conforto naqueles dias muito difíceis. Durante 10 anos acompanho-nos e manifestou/demonstrou inúmeras vezes a paixão que sentia por nós. Há 5 anos sobreviveu a custo de um temor canceroso. Desta vez já não teve tanta força, e hoje partiu e deixou-nos.

Hoje não consigo falar mais. Não foi um gato que partiu, mas uma amiga. Esta é a minha homenagem.....



Ainda hoje partiste e já tenho saudades do teu calor ao meu colo....


22 setembro 2008

Sabem quem está de volta aos ecrãs?!?




Os Muppets ou Marretas em linguagem Tuga.

Pois é. Eles estão de volta!!! A Disney comprou os direitos em 2004 e esta agora a revitalizar esta prodigiosa série com novas temporadas para TV e um filme já para 2010. Para mais informações vejam aqui.

Até lá então, que a gente vê-se!!!




09 agosto 2008

Um dia muito especial - 09/08/2008


Pois é! Mais um ano passou e cá estou eu para mais uma pequena dedicatória por este dia muito especial. É o dia de mais um aniversário da minha amiga e mana Io.

Sei que gostas mais de festejar o Carnaval do que festejar o teu dia de aniversário. Sei que para ti este dia é um suplicio, mas não posso deixar de estar aqui para prestar uma homenagem à minha Amiga, Irmã e Confidente, com quem partilho tudo o que é bom e mau desta vida.

Há sempre melhores momentos do que outros. Momentos de mais proximidade do que outros. Momentos de gargalhada infindável, de choro, de discussão, de partilha, de confidências e de casmurrices. Mas no fim, o que importa é que existe sempre um gesto cúmplice, uma palavra e um olhar de ternura. É isto tudo que hoje celebro, o prazer de ter a tua presença assídua na existência da minha vida e desejá-la tê-la até ao fim dos dias.

Por tudo o que referi antes:

PARABÉNS MIÚDA!!!! Adoro-te!!!

Por fim, e à semelhança do que já fiz o ano passado, dedico-te aqui mais um poema, desta vez da autoria de Alexandre O'Neill. Espero que gostes.

"Amigo

Mal nos conhecemos
Inaugurámos a palavra amigo!
Amigo é um sorriso
De boca em boca,
Um olhar bem limpo
Uma casa, mesmo modesta, que se oferece.
Um coração pronto a pulsar
Na nossa mão!
Amigo (recordam-se, vocês aí,
Escrupulosos detritos?)
Amigo é o contrário de inimigo!
Amigo é o erro corrigido,
Não o erro perseguido, explorado.
É a verdade partilhada, praticada.
Amigo é a solidão derrotada!
Amigo é uma grande tarefa,
Um trabalho sem fim,
Um espaço útil, um tempo fértil,
Amigo vai ser, é já uma grande festa!"

Alexandre O’Neill

02 agosto 2008

Mais Um!!! LOL


Pois é!! Não sei mesmo ficar quieto. Mais um membro para a já vasta família de 4 patas que tenho lá em casa.

Depois do Óscar e dos meus outros 4 gatos, eis que numa tarde de sábado ao ir ao CascaisShopping com intenção de comprar uma capa de protecção para o meu telefone, eis que levo uma gatinha pequenina de mês e meio. Para provar que nem todos os comerciantes são gananciosos, o dono da loja de animais deste centro comercial encontrou uma ninhada de gatinhos num terreno, e resolveu levar para a loja para oferecer os mesmos a quem estivesse interessado. Ao vê-los eu e a minha mãe ficamos deliciados com esta gatinha. É a Cocas (como o sapo) e é o elemento mais novo da minha família!!!

Canoas e Muito Divertimento!!!!

Por fim o último post deste 3 em 1!!!

Foi no finzinho de Junho que o Paradoxo da Batata Frita organizou um belo fim-de-semana em Constância para uma descida em canoa do rio Zêzere.

Veio gente de todos os lados. Era gente do Cacém, Mira Sintra, Carnaxide, Lisboa, Margem Sul (com forte presença) e até de Viseu LOLOLOL. É verdade, a minha prima Rita e a sua amiga Catarina fizeram uma directa para poderem estar por volta das 9H nesta terra Ribatejana (época de exames assim o obriga). Estava um belo tempo de Verão, havia diversão e muita, muita água, pois o muito calor que se fazia sentir obrigava a muitos banhos (a temperatura rondava os 30º e muitos).

No fim o consenso imperava. Organizar mais uma descida ainda este ano, e continuar no futuro com esta tradição.

Ficam aqui uns instantâneos desse dia para atestar a nossa comparência, e deixo a promessa que muito brevemente deixarei aqui mais umas postas de pescada. Até lá.... A Gente vê-se!!!!

Parabéns Lu


Este post já vem algo atrasado, mas não queria deixar de prestar aqui uma homenagem a um nosso amigo.

Depois dos aninhos da nossa amiga Sofia, no passado dia 15 de Julho foi o dia do Grande Lu ser "pequenino".

Amigo! És uma pessoa espectacular!!! És um verdadeiro Senhor!!! Cada vez mais aprecio a tua companhia e conversar contigo, sobre qualquer assunto que vier-nos à cabeça. Obrigado por cá estares e por toda a ajuda que deste neste último ano. Estás sempre lá!

Um Grande Abraço deste teu amigo que muito te preza!!!
Pedro

Isto hoje é um 3 em 1!!! LOL

Este mês de Julho que acabou tem sido de uma trabalheira e de uma canseira enorme, e o pouco tempo que resta ao fim do dia e ao fim-de-semana tem sido apenas para recuperar energias. O desmazelo tem sido enorme e a preguiça de vir até aqui tem sido enorme. Culpem quem quiserem, o Sócrates, a crise do petróleo, da alimentação, do Cavaco ou mesmo da crise mundial e bolsista que por aí paira.

Então e depois desta pequena justificação, aqui vai o 3 em 1.

No inicio de Junho por alturas das sardinhas de Santo António que já aqui se fez referencia, houve uma visita rápida a Constância, terra que Camões resolveu escolher para viver os seus últimos dias. E as Letras e artes dramáticas estão mesmo em alta nessa bonita terra do distrito de Santarém. Num anfiteatro lindíssimo e ao ar livre no Parque Ecológico de Constância, a Companhia Fatias de Cá tem em cena a peça "A Tempestade". Trata-se de uma peça de Shakespeare passada em Milão e que falo de traição na luta pelo poder e como uma tempestade poderá unir os desentendidos. Uma palavra especial para o grupo de 20 crianças, que com os seus 6/7 anos contribuem com uma alegria e diversão enorme.

Deixo então aqui uma fotos que mostram alguns momentos dessa expressão dramática e a beleza deste Parque Ecológico, que é sem um duvida um sítio que aconselho vivamente a visitar.



01 julho 2008



Mercado MedievalAmor e Guerra - "A Luz e as Trevas"



Para esta edição conta-se com algumas novidades, nomeadamente com a presença de acampamentos de grupos de recriação histórica, vindos de seis países europeus, e com a recriação de uma Caçada Medieval.
A caçada é uma acção radical destinada a um público jovem e que consiste num jogo em que os participantes (à vez, ou em equipa), vestidos à época e armados com bestas ou arcos, terão de procurar num grande espaço arborizado, delimitado por corda por motivos de segurança, diversos alvos clássicos em 3 dimensões representando animais, procurando pontuar, acertando a uma distância de 12 metros. Esta actividade obedece a uma inscrição paga.
Atendendo a essas actividades e ao facto da necessidade de satisfazer os muitos milhares de visitantes, para o efeito, iremos contar com a utilização do Parque da Vila existente no terreno situado a Sul, aumentando, substancialmente, a área habitualmente ocupada.
Por uma questão de ordenamento do espaço, as tasquinhas estarão disseminadas pelo recinto; o recinto de torneio será montado na área da do Parque da Vila; o espaço destinado à Caçadas Medievais será numa zona arborizada junto à zona da Liça; a área de acampamentos utilizará o restante terreno do Parque da Vila; e o Mocharro será adaptado a zona de animação.
Tal como no ano transacto, a entrada do recinto continuará a ser a Porta da Talhada e a saída será pela Porta de Santiago.
Em contraponto com a área de Acampamentos que representará os aspectos mais rurais e bélicos da Idade Média, na zona da Cerca, será montada uma zona cenográfica recriando aspectos eminentemente urbanos preparados especificamente para ser animada por personagens citadinas. Para o efeito, o cenário terá possibilidade de circulação interior permitindo aos actores o acesso a janelas, varandas e uso de portas para recriar a vivência quotidiana de uma urbe medieval.

Espero não ter encontros imediatos de 3.º grau!!!
LOLOLOL
A gente vê-se lá, AMIGOS! Quanto aos aliens...Uffff...

Parabéns Sofia!!!!!


Minha querida e linda AMIGA!!! Meu coração!!




PARABÉNS!!!!!!!!!




Tamos mortos pelo fim de semana para te vermos, para jantarmos, para irmos beber um copo ao Botchiquim, para voltarmos ao Lux!




Gostamos mesmo muito de miuda! Só temos pena de não te termos conhecido há mais tempo!!! És a Sofia * * * * *!!
Quando a gente se sente para baixo, tu tás lá para nos mandar para cima! Tás lá, linda!!! Tens que continuar a ser cobaia dos meus cozinhados!! LOLOLOL



Beijinhos e até já!!!

21 junho 2008

Big Ideas (don't get any)

Estava eu numa de vaguear pelo o mundo dos WWW, quando através do site oficial dos RADIOHEAD (Dead Air Space) descobri esta pequena brincadeira: uma remix da musica Nude do último álbum desta banda, e que já aqui foi alvo de um post em Novembro de 2007 (podem relembrar aqui).

Este vídeo que hoje vos mostro foi produzido por James Houston, um jovem finalista da Glasgow School of Art's do curso de Visual Communications, e é o seu projecto de final de curso.

Para a interpretação de Nude, James Houston escolheu os seguintes "instrumentos":

Sinclair ZX Spectrum - Guitars (rhythm & lead)
Epson LX-81 Dot Matrix Printer - Drums
HP Scanjet 3c - Bass Guitar
Hard Drive array - Act as a collection of bad speakers - Vocals & FX

Resumindo, um breve flashback aos tempos saudosos dos velhinhos computadores ZX Sepctrum que nos alegraram na nossa infância com os seus simples jogos nos anos 80.

A gente vê-se num ZX Spectrum qualquer!!! LOL



Big Ideas (don't get any) from James Houston on Vimeo.

14 junho 2008

Caril de Camarão

Depois de algumas excursões ao Tentações de Goa, resolvi experimentar fazer um caril de camarão à goesa. Confesso que uma das paixões da minha vida neste momento é cozinhar, permite-me muitas liberdades criativas, e nestas é difícil para mim falhar :)!
Então fartei-me de ler receitas na Net, fiz uma pequena pesquisa e resolvi inventar um pouco!
Comprei todos os condimentos que fazem o Caril (sim, que o caril não é uma especiaria, mas a mistura de várias, segundo a bíblia do Pantagruel) no Corte Inglés, que é um sitio magnifico para estas coisas, porque com o Club del Gourmet encontra-se rigorosamente tudo!
Então vou contar-vos mais ou menos como foi:

Sementes de Coentros
Sementes de Cominhos
Malaguetas secas (jindungo)
Açafrão das Índias (os pequenos estames, que custam uma fortuna e não em pó)
Gengibre picado
Tamarindo
Camarões descascados em cru, com cabeças
Leite de côco
Côco Ralado
Óleo
Cebola picada
Alhos picados

Arroz Basmati para acompanhamento

As primeiras 5 iguarias foram esmagadas num almofariz pelo Mário, reduzidas a pó e deitadas no refogado de alho e cebola.

Quando estava tudo "louro" juntámos uma parte grande do nosso "caril" ao refogado e juntámos os camarões e mexemos muito bem até os camarões mudarem de cor e depois juntámos uma chávena de tamarindo e deixámos ferver.

Quando ferveu juntámos o leite de côco misturado com o resto do caril e deixámos ferver uma vez, juntámos côco ralado e coentros frescos e deixámos ferver até o óleo vir ao de cima e ficar uma molharenga grossa como o raio!

Acompanhámos com arroz basmati e uma saladinha de tomate com coentros, temperada de azeite e vinagre balsâmico.

Ficou bastante igual ao do Tentações de Gôa!!! Espectacular!!!
O Mário adorou!! De início pensou que não estava picante...só que o picante alem de ser delicioso é gradual e não faz mal ao estômago! É perfeito!
Meus amigos, aconselho vivamente!!!
Além de extremamente aromático é um prato que não é de execução fácil, leva o seu tempo, e segundo o que pesquisei, amanhã estará ainda melhor!
Vamos ver!

A gente vê-se na EXPO!!

O badalado Santo António!











Pois é, meus amigos, eze, eze...o Santo António está para a "bubadeira" como o caril está para os indianos!

Que noite do camandro!!

Jantámos tranquilamente num restaurante conhecido do Pedro, A Varanda de Stª Marta...umas sardinhonas de tarar, umas febras magnificas, mas meus amigos, eze, eze...a SANGRIA...era divinal! Já ficámos de ir lá jantar novamente com a promessa de uma sangria de champagne!
O pior foi no fim...as sobremesas...eram assombrosas! A sorte é que depois nos fartámos de andar e de dançar para queimar as gordurongas todas...e queimar o etiloides...e depois zarpámos para a Bica, de um grupo de 5 passámos a um grupo de 20! Foi extraordinário!

Estava um noite de calor excelente, a companhia foi das melhores! Encontrámos pessoas que não viamos há algum tempo!

Para o ano há mais!!!

A gente vê-se no St.º António!! LOLOLOLOL

13 junho 2008

Comprei a biblia dos Badochas!


Como ainda há coisas boas, fomos à feira do livro, e meus amigos, tenho a dizer-vos, é espectacular!
Podemos sempre comprar os nossos livros preferidos muito mais barato! E como não podia deixar de ser, e como bom Gourmet que me tornei, comprei a bíblia de todos os Gourmets: o Livro de Pantagruel (ao preço da chuva) portanto, a partir de agora, preparem-se que vai chover receitas não só do Pamta, mas minhas e de outros livros! Cá estaremos para ajudar o pessoal a comer o que é verdadeiramente fantástico! A pensar que comecei com uma carnezita assada no fôrno e já fui até ao peru recheado feito inteiramente por mim, tão bom que o meu cunhado Luís não se cala desde Natal para repetir. Foi deveras moroso e trabalhoso, mas ficou absolutamente maravilhoso.

É de salientar que todas as minhas receitas terão sido todas experimentadas, e haverá fotografias não só a comprová-lo como para abrir apetites mais enfastiados.

Preparem-se!! Isto vai doer!

A gente a partir de agora, além de nos vermos na Expo, vamos passar a ver-nos na minha fabulosa cozinha!!!

Esta país de 3.º mundo onde vivemos!...


É de espantar que o povinho fique preocupado com estas greves...um povinho como o nosso, recheado de funcionários públicos que gostam de andar a coçar a micose com a ponta das unhas.

É de salientar que tenho VERGONHA pelos professores que só fazem greves quando lhes tocam no dinheirinho!...Em vez de fazerem greve pelos programas cada vez mais absurdos que os governos ao longo dos anos vão inventando para meter os miúdos mais entretidos, não!! Estas pessoas (que ganham mais do que qq funcionário público e trabalham metade das horas) fazem greve porque lhes tocam nos bolsos...acho impressionante poder atribuir culpas pelos falhanços cada vez mais evidentes da má educação que os miúdos têm. Se se tivessem mexido antes...não precisavam destas greves ridículas. Meus senhores...a educação e a cultura estão a cima de tudo.

E mais? A greve dos camionistas e claro está, a falta de gasolina e dos bens nos supermercados...

É típico, meus amigos leitores, de um povo com mentalidade de 3.º mundo todas estas efusões de ridicularidade porque não entra nada no país...e como agem os portugueses??? Como se não houvesse amanhã!! E metem-se em filas infinitas para meter gasolina e comprar galões de leite e de todo o resto porque pode faltar...mas, Portugal ganha no Europeu e vamos todos acelerar para o Marquês e gastar o precioso liquido negro...

Não há palavras para descrever estas situações, este país entristece-me...e o mais grave: a culpa NÃO é do Sócrates...até me custa dizer isto, mas a culpa é de todos nós que votamos nestas aventesmas para garantir a nossa vida. Com o tempo fomos esquecendo que QUEM MANDA SOMOS NÓS!!! Nós só elegemos pessoas para nos representarem...

Pode ser que um dia isto dê uma volta...

A gente vê-se (na única) Expo (que continuou a funcionar depois de ter acabado as exposições!!)!!!

25 maio 2008

Foi Há 10 Anos



Lembram-se?!?

A gente vê-se... NA EXPO!!!! LOLOLOL

24 maio 2008

1 Ano

Pois é. O Paradoxo da Batata Frita fez no passado dia 22 de Maio 1 ano.

Há 1 ano nasceu este blog e teve como post de estreia isto.

Desde então, muito se escreveu, muito se comentou, muito se criticou e muito se homenageou. Falou-se de musica, cinema, livros, poesia, grandes mulheres e homens da cultura e do mundo, e falamos de nós, das nossas angustias, das nossas alegrias e de como vemos o mundo. Uns meses escreveu-se mais, outros menos, o nosso tempo assim o ditava mas nunca esquecemos de deixar por aqui a nossa posta de pescada.

Agora vamos entrar num novo ano "bloguista", no nosso 2º ano. Vamos continuar a ser críticos e causticos q.b., na nossa forma de observar o mundo que nos rodeia. Vamos continuar a contar o que nos vai na alma e a falar nos diversos temas que nos apaixona e que nos faz viver e falar.

Espero que os nossos leitores (ainda temos alguns) continuem a serem fieis e a espalhar ao mundo o nosso blog e o que aqui falamos. Graças a eles fomos um sucesso neste primeiro ano, por isso o nosso muito obrigado!!! LOLOLOL Aos nosso novos leitores que apenas aparecem neste 2º ano, espero que gostem do que aqui lêem e que contribuam positivamente para a evolução e continuo crescer deste nosso paradoxo.

Para finalizar mais uma vez parabéns Paradoxo, o blog "Para pessoas muito à frente e para pessoas muito atrás".

Um grande bem haja a todos, e a gente vê-se!

09 maio 2008

A Uma Grande Diva da Musica



Nina Simone e o seu mítico Sinnerman, do álbum "Pastel Blues" (1965).

A gente vê-se!

27 abril 2008

To Kill a Dead Man


Não se trata de segredo nenhum que uma das bandas preferidas dos membros deste blog é sem dúvida os Portishead.

Estes, influenciados por filmes de espionagem dos anos 60 e por bandas sonoras compostas por Lalo Schifrin e Jonh Barry, criaram uma curta-metragem no inicio da sua carreira a que deram o nome de: "To Kill a Dead Man". Foi filmado a Preto e Branco em 1994, e trata-se de um filme de espionagem de 10 minutos.

Protagonizado pelos próprios Portishead (Beth Gibbons, Geoff Barrow e Adrian Utley), o filme fala-nos de um assassino contratado (Barrow), que no topo de um edifício prepara o assassínio de um dignitário (Utley), e com a sua mulher (Gibbons) a assistir a tudo. Histérica é internada num hospício, onde é obrigada a assistir vezes sem conta ao assassínio do seu marido. O filme leva uma reviravolta estonteante onde no fim a pergunta que subsiste é: quem afinal é a vitima?

Como nota final, o filme teve a realização a cargo de Alexander Hemming, e mais tarde serviu para o video-clip de "Sour Times" do álbum "Dummy".

Com o lançamento oficial para amanhã, dia 28 de Abril, do terceiro álbum de originais da banda, "Third", aqui fica o filme "To Kill a Dead Man" e o video-clip "Sour Times". Espero que gostem.

A gente vê-se!



22 abril 2008

A Malta da Obra


Sim, somos uns "trolhas" limpinhos.
Sim, a Patricia e o Zé são engenheiros.
Não, eu não sou engenheira, mas qq dia tiro o curso na Independente (se a voltarem a abrir) e já posso ser 1.ª Ministra. E qd isso acontecer acabo com o futebol, e dou todo o dinheiro envolvido no futebol para pesquisa de doenças estranhas. Eu sou a camarawoman.
Sim, qd mostrei esta foto ao Mário ele perguntou se andavamos sempre assim na Obra.
Riu-se e não se admirou com o facto das pessoas não abrandarem nas poças de água qd nos vêem.
O Pedro achou o mesmo, dizendo ele próprio que se nos visse assim na rua, passaria o mais depressa possivel por uma poça de água.
A minha mãe riu-se e achou o mesmo.
FIQUEM SABENDO QUE VOCÊS PAGARÃO BILHETE MAIS CARO SEMPRE QUE ANDAREM DE METRO!!!! (opinião da Patti!)
Apesar de trabalharmos na Obra e de a visitarmos todas as 4.ªs feiras, sinto que temos um enorme previlégio por pertencer a uma obra com esta envergadura, que vai realmente, facilitar a vida dos portugueses! Gostava de publicar fotos da obra, mas se o Metro as encontrasse...era o fim. Só quem tem o previlégio de passar dentro dos tuneis e de ver todo o trabalho envolvido sabe do que eu estou a falar! Adorava que esta obra durasse para sempre. Adoro estar aqui...todos os dias aprendo imenso! Até já aprendi a ver onde existem não-conformidades!!
Quanto à minha malta, não podia andar melhor acompanhada, apesar de todo o barulho dentro dos tuneis, a Patti consegue sempre explicar-me todos os procedimentos, como se eu fosse uma menina de 3 anos, e o Zé no seu jeito único distorce um bocado as coisas, para que possamos desconstrair, afinal andar por ali é puxado! Ele acha que a Patrícia qd desaparece é porque foi comida por um tubarão! LOLOLOL! Eu tento manter-me sempre junto deles!
Gosto imenso do meu Chefe...e ele enche-me de trabalho e eu sinto-me muito motivada pela confiança que as pessoas cada vez mais depositam em mim. Mas por vezes, nem tudo é rosas.
Tudo isto para ficarem com um "cheirinho" do que se faz enquanto se trabalha!
Obrigada por tudo!! Mais do que colegas vocês são AMIGOS, e isso não tem preço! Obrigada por terem entrado na minha vida! Que as nossas excursões continuem por muitas e muitas 4.ªs feiras, assim como os nossos almoços no PMOII! Vocês são excelentes!!
Quanto aos outros, a gente vê-se na Expo!
Amiga, volta depressa, que isto sem ti é de morrer...e eu sei que é amanhã, mas fica aqui já votos de felicidades!

16 abril 2008

PRECISO DE ALGUÉM

Que me olhe nos olhos quando falo.
Que ouça as minhas tristezas e neuroses com paciência.
Preciso de alguém, que venha brigar ao meu lado sem precisar ser convocado; alguém Amigo o suficiente para dizer-me as verdades que não quero ouvir, mesmo sabendo que posso odia-lo por isso.
Neste mundo de cépticos, preciso de alguém que creia, nesta coisa misteriosa, desacreditada, quase impossível de encontrar: A Amizade.
Que teime em ser leal, simples e justo, que não vá embora se algum dia eu perder o meu ouro e não for mais a sensação da festa.
Preciso de um Amigo que receba com gratidão o meu auxílio, a minha mão estendida.
Mesmo que isto seja pouco para as suas necessidades.
Preciso de um Amigo que também seja companheiro, nas farras e pescarias, nas guerras e alegrias, e que no meio da tempestade, grite em coro comigo:
"Nós ainda vamos rir muito disso tudo"
Não pude escolher aqueles que me trouxeram ao mundo, mas posso escolher o meu Amigo.
E nessa busca empenho a minha própria alma, pois com uma Amizade Verdadeira, a vida se torna mais simples, mais rica e mais bela...

Charles Chaplin
(1889-1977)

Um dia sem sorrir é um dia perdido

A frase título deste post obviamente que não é minha, embora acredite nela à muito, muito tempo. A frase é desse grande génio que hoje quero prestar a minha homenagem. Comemora-se hoje os 119 anos do seu nascimento (nasceu em Londres a 16 de Abril de 1889). Estamos a falar de quem eu considero o maior génio do cinema, Charles Chaplin.

Era eu ainda muito pequeno quando comecei a ver as suas curtas-metragens na televisão, e fascinava-me aquele vagabundo de chapéu de coco preto, smoking a "pedir reforma" preto, bengala e andar com os pés às 10 para as 2 (LOL), embora tivesse a dignidade e cavalheirismo de um "Sir". Na altura gostava dos seus filmes porque esse andar desajeitado e as suas trapalhadas me faziam rir, não alcançando minimamente o alcance que esses filmes tinham. Foi já com os meus 15/16 anos que comecei a ver as suas longas-metragens com outros olhos, e ainda mais ganhei fascínio a esse actor, produtor, realizador, autor, argumentista, empresário e musico. Um verdadeiro Homem dos 7 ofícios.

Os Filmes "O Míudo", "Luzes da Ribalta", "Tempos Modernos", "O Grande Ditador", "O circo", "Luzes da Cidade", "A Quimera do Ouro" foram classificados pela industria do cinema como estando dentro dos melhores 100 filmes da historia do cinema. Só mesmo um génio conseguiria que 7 filmes entrassem nesta tabela consagrada. Critico e perspicaz na mensagem dos seus filmes, Chaplin critica, com uma visão muito socialista e humana, a quebra de valores e o caminho da decadência que a revolução industrial e o liberalismo puro e duro trouxeram na evolução social. Faz uma justa e linda ode ao Amor, como é exemplo disso o filme "Luzes da Cidade" (a mensagem é - o Amor é cego!), e antes de tudo e todos desmascara Hitler em "O Grande Ditador". Ainda com respeito a este filme que mencionei, Chaplin quando descobriu o horror do Holocausto Nazi afirmou que se soubesse desta tragédia antes não teria brincado como brincou com este tema (como nota há que referir que o filme é de 1940 e o holocausto Nazi foi tornado publico em 1945).

Esta visão perspicaz da sociedade e a sua crítica mordaz valeu com que sofresse variadas perseguições no seu país natal, bem como no seu país de adopção, o que fez com que escolhesse a Suíça como seu último refugio nos seus últimos 25 anos. Por incrível que pareça, dado à sua genialidade e versatilidade, a perseguição a este artista foi tanta que a academia de Hollywood, apesar de inúmeras nomeações, só lhe atribuiu o Oscar de carreira e já estávamos em 1972. Foi uma das maiores ovações de sempre, com toda a gente de pé a aplaudir por mais de 5 minutos. Não está ao alcance de qualquer um.

A 25 de Dezembro de 1977, o mundo viria a despedir-se desde "Sir" (sim, a rainha concedeu-lhe este título honorifico em 1975). Curioso. Morreu no dia do ano que mais detestava.

Assim, e para finalizar, tenho a dizer que é uma das figuras da humanidade que mais admiro e prezo, e orgulho-me de poder ter partilhado a minha presença neste planeta com esta alma GIGANTE durante 10 meses de vida. Como despedida deixo-vos algumas frases marcantes deste Senhor, bem como um vídeo de homenagem que descobri no famoso Youtube, e em que a musica de fundo foi escrita e composta também por Chaplin.

"
A humanidade não se divide em heróis e tiranos. As suas paixões, boas e más, foram-lhe dadas pela sociedade, não pela natureza."

"
Se tivesse acreditado na minha brincadeira de dizer verdades teria ouvido verdades que teimo em dizer brincando, falei muitas vezes como um palhaço mas jamais duvidei da sinceridade da platéia que sorria."

"
O amor perfeito é a mais bela das frustrações, pois está acima do que se pode exprimir."

"Durante a nossa vida:
Conhecemos pessoas que vem e que ficam,
Outras que, vem e passam.
Existem aquelas que,
Vem, ficam e depois de algum tempo se vão.
Mas existem aquelas que vem e se vão com uma enorme vontade de ficar..."



Palavras para quê? Sejam felizes e tenham sempre um sorriso à mão!!!

12 abril 2008

Olhem outro!

Só mesmo quem conhece bem os gatos!...

Olhem só o nível!...

Frase do dia:

Pior do que ser feia, é ter a mania que se é bonita!

10 abril 2008

O Principezinho

Meus amigos,

Não queria deixar de partilhar com vocês o meu capítulo preferido do meu livro preferido.
Das 1000 vezes que o li, pareceu-me sempre diferente, mais puro e mais enriquecedor.
Precisávamos de mais "principezinhos" neste mundo...





...Julgava-me muito rico por ter uma flor única no mundo e, afinal só tenho uma rosa vulgar...

Foi então que apareceu uma raposa .

- Olá, bom dia! disse a raposa.

- Olá, bom dia! - Respondeu delicadamente o principezinho...

-Anda brincar comigo - pediu o principezinho. Estou tão triste...

- Não posso ir brincar contigo - disse a raposa. - Ainda ninguém me cativou...

Andas à procura de galinhas? (diz a raposa)

Não... Ando à procura de amigos. O que é que "cativar" quer dizer?

... Quer dizer que se está ligado a alguém, que se criaram laços com alguém.

Laços?

Sim, laços - disse a raposa. - ...

Eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo e eu serei para ti, única no mundo...

(raposa) Tenho uma vida terrivelmente monótona...

Mas se tu me cativares, a minha vida fica cheia se Sol.

Estás a ver, ali adiante, aqueles campos de trigo? ... não me fazem lembrar de nada. É uma triste coisa! Mas os teus cabelos são da cor do ouro. Então quando eu estiver cativada por ti, vai ser maravilhoso! Como o trigo é dourado, há-de fazer-me lembrar de ti...

- Só conhecemos as coisas que cativamos - disse a raposa. - Os homens, agora já não tem tempo para conhecer nada. Compram as coisas feitas nos vendedores. Mas como não há vendedores de amigos, os homens já não tem amigos. Se queres um amigo, cativa-me!

E o que é preciso fazer? - Perguntou o principezinho.

- É preciso ter muita paciência. Primeiro, sentas-te um bocadinho afastado de mim, assim em cima da relva. Eu olho para ti pelo canto do olho e tu não dizes nada . A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas todos os dias te podes sentar mais perto...

Se vieres sempre ás quatro horas, ás três já eu começo a ser feliz...

Foi assim que o principezinho cativou a raposa. E quando chegou a hora da despedida:

- Ai! - exclamou a raposa - Ai que me vou pôr a chorar...

... Então não ganhaste nada com isso!

- Ai isso é que ganhei! - disse a raposa. - Por causa da cor do trigo...

Depois acrescentou:

- Anda vai ver outra vez as rosas. Vais perceber que a tua é única no mundo.

O principezinho lá foi... - vocês não são nada disse-lhes ele. - Não há ninguém preso a vocês... - não se pode morrer por vocês...

... A minha rosa sozinha. vale mais do que vocês todas juntas, porque foi a ela que eu reguei, que eu abriguei... Porque foi a ela que eu ouvi queixar-se, gabar-se e até, ás vezes calar-se. Porque ela é a minha rosa.

E então voltou para ao pé da raposa e disse:

- Adeus...

- Adeus - disse a raposa. - vou-te contar o tal segredo. É muito simples:

Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos...

Foi o tempo que tu perdeste com a tua rosa que tornou a tua rosa tão importante.

- Os homens já se esqueceram desta verdade - disse a raposa. Mas tu não te deves esquecer dela.

Ficas responsável para todo o sempre por aquilo que está preso a ti. Tu és responsável pela tua rosa...

Antoine De Saint-Exupery "O Principezinho"

Sejam Felizes!




TABACARIA
(15-1-1928)


Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

Janelas do meu quarto,
Do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe quem é
(E se soubessem quem é, o que saberiam?),
Dais para o mistério de uma rua cruzada constantemente por gente,
Para uma rua inacessível a todos os pensamentos,
Real, impossivelmente real, certa, desconhecidamente certa,
Com o mistério das coisas por baixo das pedras e dos seres,
Com a morte a pôr humidade nas paredes e cabelos brancos nos homens,
Com o Destino a conduzir a carroça de tudo pela estrada de nada.

Estou hoje vencido, como se soubesse a verdade.
Estou hoje lúcido, como se estivesse para morrer,
E não tivesse mais irmandade com as coisas
Senão uma despedida, tornando-se esta casa e este lado da rua
A fileira de carruagens de um comboio, e uma partida apitada
De dentro da minha cabeça,
E uma sacudidela dos meus nervos e um ranger de ossos na ida.

Estou hoje perplexo como quem pensou e achou e esqueceu.
Estou hoje dividido entre a lealdade que devo
À Tabacaria do outro lado da rua, como coisa real por fora,
E à sensação de que tudo é sonho, como coisa real por dentro.

Falhei em tudo.
Como não fiz propósito nenhum, talvez tudo fosse nada.
A aprendizagem que me deram,
Desci dela pela janela das traseiras da casa,
Fui até ao campo com grandes propósitos.
Mas lá encontrei só ervas e árvores,
E quando havia gente era igual à outra.
Saio da janela, sento-me numa cadeira. Em que hei-de pensar?

Que sei eu do que serei, eu que não sei o que sou?
Ser o que penso? Mas penso ser tanta coisa!
E há tantos que pensam ser a mesma coisa que não pode haver tantos!
Génio? Neste momento
Cem mil cérebros se concebem em sonho génios como eu,
E a história não marcará, quem sabe?, nem um,
Nem haverá senão estrume de tantas conquistas futuras.
Não, não creio em mim.
Em todos os manicómios há doidos malucos com tantas certezas!
Eu, que não tenho nenhuma certeza, sou mais certo ou menos certo?
Não, nem em mim...
Em quantas mansardas e não-mansardas do mundo
Não estão nesta hora génios-para-si-mesmos sonhando?
Quantas aspirações altas e nobres e lúcidas -
Sim, verdadeiramente altas e nobres e lúcidas -,
E quem sabe se realizáveis,
Nunca verão a luz do sol real nem acharão ouvidos de gente?
O mundo é para quem nasce para o conquistar
E não para quem sonha que pode conquistá-lo, ainda que tenha razão.
Tenho sonhado mais que o que Napoleão fez.
Tenho apertado ao peito hipotético mais humanidades do que Cristo,
Tenho feito filosofias em segredo que nenhum Kant escreveu.
Mas sou, e talvez serei sempre, o da mansarda,
Ainda que não more nela;
Serei sempre o que não nasceu para isso;
Serei sempre só o que tinha qualidades;
Serei sempre o que esperou que lhe abrissem a porta ao pé de uma parede sem porta
E cantou a cantiga do Infinito numa capoeira,
E ouviu a voz de Deus num poço tapado.
Crer em mim? Não, nem em nada.
Derrame-me a Natureza sobre a cabeça ardente
O seu sol, a sua chuva, o vento que me acha o cabelo,
E o resto que venha se vier, ou tiver que vir, ou não venha.
Escravos cardíacos das estrelas,
Conquistámos todo o mundo antes de nos levantar da cama;
Mas acordámos e ele é opaco,
Levantámo-nos e ele é alheio,
Saímos de casa e ele é a terra inteira,
Mais o sistema solar e a Via Láctea e o Indefinido.

(Come chocolates, pequena;
Come chocolates!
Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates.
Olha que as religiões todas não ensinam mais que a confeitaria.
Come, pequena suja, come!
Pudesse eu comer chocolates com a mesma verdade com que comes!
Mas eu penso e, ao tirar o papel de prata, que é de folhas de estanho,
Deito tudo para o chão, como tenho deitado a vida.)

Mas ao menos fica da amargura do que nunca serei
A caligrafia rápida destes versos,
Pórtico partido para o Impossível.
Mas ao menos consagro a mim mesmo um desprezo sem lágrimas,
Nobre ao menos no gesto largo com que atiro
A roupa suja que sou, sem rol, pra o decurso das coisas,
E fico em casa sem camisa.

(Tu, que consolas, que não existes e por isso consolas,
Ou deusa grega, concebida como estátua que fosse viva,
Ou patrícia romana, impossivelmente nobre e nefasta,
Ou princesa de trovadores, gentilíssima e colorida,
Ou marquesa do século dezoito, decotada e longínqua,
Ou cocote célebre do tempo dos nossos pais,
Ou não sei quê moderno - não concebo bem o quê -,
Tudo isso, seja o que for, que sejas, se pode inspirar que inspire!
Meu coração é um balde despejado.
Como os que invocam espíritos invocam espíritos invoco
A mim mesmo e não encontro nada.
Chego à janela e vejo a rua com uma nitidez absoluta.
Vejo as lojas, vejo os passeios, vejo os carros que passam,
Vejo os entes vivos vestidos que se cruzam,
Vejo os cães que também existem,
E tudo isto me pesa como uma condenação ao degredo,
E tudo isto é estrangeiro, como tudo.)

Vivi, estudei, amei, e até cri,
E hoje não há mendigo que eu não inveje só por não ser eu.
Olho a cada um os andrajos e as chagas e a mentira,
E penso: talvez nunca vivesses nem estudasses nem amasses nem cresses
(Porque é possível fazer a realidade de tudo isso sem fazer nada disso);
Talvez tenhas existido apenas, como um lagarto a quem cortam o rabo
E que é rabo para aquém do lagarto remexidamente.

Fiz de mim o que não soube,
E o que podia fazer de mim não o fiz.
O dominó que vesti era errado.
Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti, e perdi-me.
Quando quis tirar a máscara,
Estava pegada à cara.
Quando a tirei e me vi ao espelho,
Já tinha envelhecido.
Estava bêbado, já não sabia vestir o dominó que não tinha tirado.
Deitei fora a máscara e dormi no vestiário
Como um cão tolerado pela gerência
Por ser inofensivo
E vou escrever esta história para provar que sou sublime.

Essência musical dos meus versos inúteis,
Quem me dera encontrar-te como coisa que eu fizesse,
E não ficasse sempre defronte da Tabacaria de defronte,
Calcando aos pés a consciência de estar existindo,
Como um tapete em que um bêbado tropeça
Ou um capacho que os ciganos roubaram e não valia nada.

Mas o dono da Tabacaria chegou à porta e ficou à porta.
Olhou-o com o desconforto da cabeça mal voltada
E com o desconforto da alma mal-entendendo.
Ele morrerá e eu morrerei.
Ele deixará a tabuleta, e eu deixarei versos.
A certa altura morrerá a tabuleta também, e os versos também.
Depois de certa altura morrerá a rua onde esteve a tabuleta,
E a língua em que foram escritos os versos.
Morrerá depois o planeta girante em que tudo isto se deu.
Em outros satélites de outros sistemas qualquer coisa como gente
Continuará fazendo coisas como versos e vivendo por baixo de coisas como tabuletas,
Sempre uma coisa defronte da outra,
Sempre uma coisa tão inútil como a outra,
Sempre o impossível tão estúpido como o real,
Sempre o mistério do fundo tão certo como o sono de mistério da superfície,
Sempre isto ou sempre outra coisa ou nem uma coisa nem outra.

Mas um homem entrou na Tabacaria (para comprar tabaco?),
E a realidade plausível cai de repente em cima de mim.
Semiergo-me enérgico, convencido, humano,
E vou tencionar escrever estes versos em que digo o contrário.

Acendo um cigarro ao pensar em escrevê-los
E saboreio no cigarro a libertação de todos os pensamentos.
Sigo o fumo como uma rota própria,
E gozo, num momento sensitivo e competente,
A libertação de todas as especulações
E a consciência de que a metafísica é uma consequência de estar mal disposto.

Depois deito-me para trás na cadeira
E continuo fumando.
Enquanto o Destino mo conceder, continuarei fumando.

(Se eu casasse com a filha da minha lavadeira
Talvez fosse feliz.)
Visto isto, levanto-me da cadeira. Vou à janela.

O homem saiu da Tabacaria (metendo troco na algibeira das calças?).
Ah, conheço-o: é o Esteves sem metafísica.
(O dono da Tabacaria chegou à porta.)
Como por um instinto divino o Esteves voltou-se e viu-me.
Acenou-me adeus gritei-lhe Adeus ó Esteves!, e o universo
Reconstruiu-se-me sem ideal nem esperança, e o dono da Tabacaria sorriu.

Álvaro de Campos


Como estamos numa boa onda de educação e cultura, queria deixar-vos com este poema lindíssimo, que lido em pequenos trechos se identifica com um bocadinho de nós. Aproveitem para serem grandes e evoluídos...

A gente continua a ver-se na expo! LOL

07 abril 2008

Homenagem a Almada Negreiros


Hoje lembrei-me de Almada Negreiros. Se hoje fosse vivo faria 115 anos (sim nasceu a 7 de Abril de 1893). Foi um artista multidisciplinar, pintor, escritor, poeta, ensaísta, dramaturgo e romancista português ligado ao grupo modernista, onde pontificavam ainda Mário de Sá Carneiro, Fernando Pessoa, entre tantos outros carismáticos do século XX. Espectacular a entrevista que deu ao programa Zip Zip da RTP, na década de 60, e que ainda hoje pode ser vista ou revista na RTP Memória (não serve só para ver jogos do Benfica quando ganhava campeonatos - não resisti hehehehe). Deixou-nos a 14 de Junho de 1970, mas deixou-nos uma vasta obra para apreciar.

Hoje lembrei-me de um dos seus textos mais sublimes - Manifesto Anti-Dantas. Pesquisei no maravilhoso mundo da World Wide Web, e eis que encontrei na integra esse maravilhoso texto (podem vê-lo aqui). Deliciei-me mais uma vez a lê-lo.

Assim, deixo aqui um breve excerto que quero dedicar a TODAS e TODOS os Dantas que continuam a proliferar por aqui e a fazer "PIM-PAM-PUM".

"BASTA PUM BASTA!

UMA GERAÇÃO, QUE CONSENTE DEIXAR-SE REPRESENTAR POR UM DANTAS É UMA GERAÇÃO QUE NUNCA O FOI! É UM COIO D'INDIGENTES, D'INDIGNOS E DE CEGOS! É UMA RÊSMA DE CHARLATÃES E DE VENDIDOS, E SÓ PODE PARIR ABAIXO DE ZERO!

ABAIXO A GERAÇÃO!

MORRA O DANTAS, MORRA! PIM!

UMA GERAÇÃO COM UM DANTAS A CAVALO É UM BURRO IMPOTENTE!

UMA GERAÇÃO COM UM DANTAS À PROA É UMA CANÔA UNI SECO!

O DANTAS É UM CIGANO!

O DANTAS É MEIO CIGANO!

O DANTAS SABERÁ GRAMMÁTICA, SABERÁ SYNTAXE, SABERÁ MEDICINA, SABERÁ FAZER CEIAS P'RA CARDEAIS SABERÁ TUDO MENOS ESCREVER QUE É A ÚNICA COISA QUE ELLLE FAZ!

O DANTAS PESCA TANTO DE POESIA QUE ATÉ FAZ SONETOS COM LIGAS DE DUQUEZAS!

O DANTAS É UM HABILIDOSO!

O DANTAS VESTE-SE MAL!

O DANTAS USA CEROULAS DE MALHA!

O DANTAS ESPECÚLA E INÓCULA OS CONCUBINOS!

O DANTAS É DANTAS!

O DANTAS É JÚLIO!

MORRA O DANTAS, MORRA! PIM!

O DANTAS FEZ UMA SORÔR MARIANNA QUE TANTO O PODIA SER COMO A SORÔR IGNEZ OU A IGNEZ DE CASTRO, OU A LEONOR TELLES, OU O MESTRE D'AVIZ, OU A DONA CONSTANÇA, OU A NAU CATHRINETA, OU A MARIA RAPAZ!

E O DANTAS TEVE CLÁQUE! E O DANTAS TEVE PALMAS! E O DANTAS AGRADECEU!

O DANTAS É UM CIGANÃO!

NÃO É PRECISO IR P'RÓ ROCIO P'RA SE SER UM PANTOMINEIRO, BASTA SER-SE PANTOMINEIRO!

NÃO É PRECISO DISFARÇAR-SE P'RA SE SER SALTEADOR, BASTA ESCREVER COMO DANTAS! BASTA NÃO TER ESCRÚPULOS NEM MORAES, NEM ARTÍSTICOS, NEM HUMANOS! BASTA ANDAR CO'AS MODAS, CO'AS POLÍTICAS E CO'AS OPINIÕES! BASTA USAR O TAL SORRISINHO, BASTA SER MUITO DELICADO E USAR CÔCO E OLHOS MEIGOS! BASTA SER JUDAS! BASTA SER DANTAS!

MORRA O DANTAS, MORRA! PIM!

O DANTAS NASCEU PARA PROVAR QUE, NEM TODOS OS QUE ESCREVEM SABEM ESCREVER!

O DANTAS É UM AUTOMATO QUE DEITA PR'A FÓRA O QUE A GENTE JÁ SABE QUE VAE SAHIR... MAS É PRECISO DEITAR DINHEIRO!

O DANTAS É UM SONETO D'ELLE-PRÓPRIO!

O DANTAS EM GÉNIO NUNCA CHEGA A PÓLVORA SECCA E EM TALENTO É PIM-PAM-PUM!

O DANTAS NÚ É HORROROSO!

O DANTAS CHEIRA MAL DA BOCA!

MORRA O DANTAS, MORRA! PIM!

O DANTAS É O ESCARNEO DA CONSCIÊNCIA!

SE O DANTAS É PORTUGUEZ EU QUERO SER HESPANHOL!

O DANTAS É A VERGONHA DA INTELLECTUALIDADE PORTUGUEZA! O DANTAS É A META DA DECADÊNCIA MENTAL!

E AINDA HÁ QUEM NÃO CÓRE QUANDO DIZ ADMIRAR O DANTAS!

E AINDA HÁ QUEM LHE ESTENDA A MÃO!

E QUEM LHE LAVE A ROUPA!

E QUEM TENHA DÓ DO DANTAS!

E AINDA HÁ QUEM DUVIDE DE QUE O DANTAS NÃO VALE NADA, E QUE NÃO SABE NADA, E QUE NEM É INTELLIGENTE NEM DECENTE, NEM ZERO!

(...)"

A gente vê-se!

05 abril 2008

Cara Suja RIP

Cara Suja
3-5-2003/4-4-2008


Era uma vez um gato que de tanto olhar para o céu ficou com os olhos mais azuis que alguma tive o prazer de observar.

Era esperto e voraz, não dispensava os miminhos da minha avó, voltava quase sempre a casa, mas nunca para dormir dentro dela, apenas para descansar à porta. Era assim que ele gostava de viver.

Ainda me lembro do dia em que ele nasceu. Eram 3 gatinhos, 2 meninas tigradas e ele todo branquinho. Depois com o crescimento (como a mãe era siamesa) ele foi ganhando uma mancha aqui e outra ali de siamês. O temperamento era de siamês puro, muito altivo, independente, majestoso. Ah, e o olhos mais azuis que já vi em qualquer siamês.

Como o tipo tinha vida própria e só aparecia se lhe apetecesse, ontem reparámos que algo não estava bem. Foi apenas em 2 dias que ele não apareceu em casa. Gostava do seu território e do seu harém. O que ele tinha era de certo irreversível. Insuficiência hepática, FIV e FELV. Enquanto vou escrevendo isto...vou ficando com o meu coração todo partido, não consigo parar as lágrimas...só quem passou por isto me pode entender. Só houve uma solução...a eutanásia...e pronto. Antes pensava que não tinha coragem para assistir...Mas isso é de uma cobardia sem explicação. Fiquei com ele até ao seu último rom-rom...Sim...este bichinho morreu (felizmente sem qualquer dor) a ronronar. Ele já tinha imensa dificuldade em fazê-lo...mas tenho a certeza que ele soube que nós íamos estar ali com ele até ao fim. Foi das decisões mais dolorosas que tomei na vida. Decidir a vida e a morte de um ser vivo é algo que me transcende. A verdade é que ele morreu dignamente. Com o mínimo sofrimento possível. Foi só nisso que pensei. Ninguém merece sofrer até ao final. Já basta o que fazem com as pessoas. Acho que fui humana o suficiente....
Não acredito em Deus nem em nada do género. São esses fanatismos e essas crenças que geram guerras, ódios e sofrimentos de proporções bíblicas. Acredito que haja um lugar comum para todos, onde nos encontramos outra vez para darmos valor ao tempo que estivemos afastados. Lugar esse onde não existe sofrimento, mentiras, hipocrisia, maldade...espero mesmo que assim seja.

Vemos-nos por aí, Cara Suja...Já tenho saudades tuas, fofinho....um último Rom para ti, meu querido bichinho....


04 abril 2008

Quero Aprender

Quero ser sublime no que faço.

Quero dar algo de especial ao mundo.

Quero acreditar que há uma razão que dá sentido à vida, um princípio que me ajuda a atravessar os maus momentos e os bons também.

Quero crer que no mundo existe alguém tão só quanto eu.

Quero acreditar que vamos encontrar-nos e amar-nos e jamais voltaremos a conhecer a solidão.

In Um, Richard Bach

Hoje adequa-se um pouco a mim....

28 março 2008

Portishead - Coliseu dos Recreios 27 Março de 2008

Pois é! O Paradoxo da batata que é frita foi até ao Coliseu dos Recreios ver um grande concerto.

Após 10 anos de ausência de uma tour oficial, os Portishead regrassaram à rua, e escolheram Portugal como porto de partida com dois magníficos concertos. O primeiro na cidade Invicta a 26 de Março, e o outro (que contou com a nossa muito valiosa presença) em Lisboa no Coliseu que é dos Recreios, em mais uma data que irá ficar pelo menos para a minha história - 27 de Março de 2008.

Como disse inicialmente e na minha percepção, foi um grande grande concerto. Numa escala de 0 a 10, concordo com a minha querida Io que o classificou com nota 8. Vá... eu talvez dê um 8,5!!! LOLOLOL

Este concerto começou às 21h em ponto com a actuação de uma banda americana muito, muito fraquinha chamada A Hawk and a Hacksaw. Às 22h10m (aproximadamente) eis que aparecem em palco Beth Gibbons, Geoff Barrow e Adrian Utley. Apoteose total. A grande banda de Bristol novamente em palco para delírio de um Coliseu esgotado à praticamente dois meses.

A abrir a primeira música do novo álbum "Third". Depois, e para contemplação de todos os presentes nesta sala mítica um desfilar de êxitos de álbuns antigos e de futuros grandes êxitos deste novo "Third". Musicas como "Glory Box", "Roads", "Wandering Star", "All Mine", entre tantas outras, bem como as novas "Machine Gun", We Carry On", "The Rip" e "Hunter" fizeram os nossos ouvidos atingirem o nirvana.

Momentos mágicos para mim houve três: a versão quase acústica de "Wandering Star"; "Numb" totalmente inovado e brilhante; e claro está "Roads", que me fez recuar momentaneamente 9 anos na minha vida, e confesso a vocês todos que me fez saltitar pequenas lágrimas.... (sem dúvida uma das minhas músicas mais significativas e que faz-me recordar muita coisa).

Para finalizar este "pequeno" post (e porque já são 1h30m da madrugada de dia 28/03/08, e por isso sexta-feira dia de trabalho), deixo-vos aqui umas modestas fotos tiradas por mim no meio da plateia e até ser apanhado por um "Gorila", desculpem, segurança que me proibiu de tirar mais fotos (apesar de muitas máquinas e telemóveis continuarem com flashs a alvejarem o palco do Coliseu. Enfim...).


E para finalizar a última foto que consegui tirar. Segundos depois tinha uma enorme luz branca de um segurança apontada a mim que nem uma J3 do exercito "Tuga"!!! LOL

Desculpem-me mais uma vez a qualidade das fotos, mas é o que se pode arranjar!!! LOL

A gente vê-se!!!

08 março 2008

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

Meu amigos!

Hoje é o dia internacional da Mulher. Esta é a minha homenagem a todas as mulheres que conheço.

Espero que gostem!



P.S. - Dia 27 deste mês estaremos no Coliseu dos Recreios para os ver ao vivo!!! LOL

17 fevereiro 2008

Exercício a sério para abater o "banhame"! LOLOL





Todo o tempo da minha vida é realmente muito precioso. Eu sei que eles já isolaram os genes e tal...mas não há nada como ir prevenindo para que nada aconteça. Não há nada como um bom exercíciozinho! Umas boas voltas de bicicleta em boa companhia! Quem quiser estamos regularmente no Estádio Nacional (sim, eu estou de volta, principalmente esta semana que vem que o ritmo de trabalho vai diminuir). Apareçam para darmos umas voltas!

A gente vê-se na Expo!

Carnaval!





Epá...tenho andado cheia de trabalho e só hoje penso conseguir postar tudo o que tenho para postar!...Está deveras complicado!

O meu adorado Carnaval!! Este ano foi um "must" no Bairro Alto! A malta toda mascarada! As caipirinhas, a festa no Purex!!! Pouco mais há a dizer...e imagens temos poucas...mas compensamos com as lembranças! LOL. Para o ano será ainda melhor, visto este ano termos todos trabalhado forte e feio! Fomos poucos, mas os melhores do mundo! Para o ano há mais!

A gente vê-se na EXPO!

Dia de São Valentim

Aqui há uns tempos atrás postei num blogg alheio qualquer, desses que não interessam nem ao menino jesus, um post magnifico sobre este dia. Agora como tenho um blogg que é visitado pelos "amigos do alheio", este ano quero dedicar este post de S. Valentim a todos os meus amigos, e em especial ao AMOR DA MINHA VIDA.
Vamos ficar aqui com um pequeno brieffing sobre como nasceu este dia:

"A história do Dia de São Valentim remonta um obscuro dia de jejum já tido em homenagem a São Valentim. A associação com o amor romântico chega depois do final da Idade Média, durante o qual o conceito de amor romântico foi formulado.

O dia é hoje muito associado com a troca mútua de recados de amor em forma de objetos simbólicos. Símbolos modernos incluem a silhueta de um coração e a figura de um Cupido com asas. Iniciada no século XIX, a prática de recados manuscritos deu lugar à troca de cartões de felicitação produzidos em massa. Se estima que, mundo afora, aproximadamente um bilhão de cartões com mensagens românticas são mandados a cada ano, tornando esse dia um dos mais lucrativos do ano. Também se estima que as mulheres comprem aproximadamente 85% de todos os presentes.

São Valentim

Durante o governo do imperador Claudius II, este proibiu a realização de casamentos em seu reino, com o objetivo de formar um grande e poderoso exército. Claudius acreditava que os jovens se não tivessem família, se alistariam com maior facilidade. No entanto, um bispo romano continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. Seu nome era Valentine e as cerimónias eram realizadas em segredo. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens jogavam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor. Entre as pessoas que jogaram mensagens ao bispo estava uma jovem cega: Asterius, filha do carcereiro a qual conseguiu a permissão do pai para visitar Valentine. Os dois acabaram-se apaixonando e milagrosamente recuperou a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentine”, expressão ainda hoje utilizada. Valentine foi decapitado em 14 de Fevereiro de 270 d.C."

fonte: Wikipédia



Por isso amor, por acreditar no amor, quero dedicar-te esta posta de pescada. Sei que passámos por algumas ordélias, tive algumas dúvidas, mas de uma coisa fiquei com a certeza: que te amo muito e que tu és, sem sombra de dúvida, a pessoa com quem quero passar o resto da minha vida. Sou muito sortuda por te ter! Um beijo e até já!